Crédito Rural

No Brasil, o governo federal tem planos safra distintos, um específico para a agricultura familiar, o Plano Safra da Agricultura Familiar, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (SEAD, ex-MDA) e outro para a agricultura em geral, o Plano Agrícola e Pecuário (PAP), sob gestão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O Sistema Nacional de Crédito Rural é um dos instrumentos do Plano Safra e possui diversas modalidades de financiamento, tanto para agricultores familiares como para os demais agricultores. Dentre elas pode-se citar linhas específicas para custeio das atividades agropecuárias, investimentos na propriedade, investimentos em infraestrutura de armazenagem e comercialização de associações e cooperativas.

O crédito rural, seja de modo geral, seja especificamente o crédito via o Pronaf, é componente estratégico da política de desenvolvimento rural inclusiva e sustentável no Brasil. O Pronaf, além de financiar a produção de alimentos, é um programa que democratiza o acesso de agricultores residentes nos longínquos rincões brasileiros à política pública do crédito rural.

Em Santa Catarina, o Pronaf tem se mostrado de alta relevância para a agricultura familiar. Em 2017, mais de 68% dos contratos de crédito rural do Estado foram tomados por meio do programa. Apesar do grande contingente de famílias beneficiadas em 2017 pelo Pronaf (92.368), o montante de recursos financeiros aplicados representou 26,5% do total do crédito rural no estado. O Estado, apesar de possuir apenas 1,13% do território nacional, destaca-se no País por significativos volumes de aplicação no crédito rural. Do valor total de crédito aplicado no Brasil, o Estado utilizou 7,21% em 2016.

Os gráficos e mapas de visualização apresentados nesta seção trazem dados referentes ao número de contratos e valores financiados para agricultores familiares (Pronaf) e demais agricultores, com detalhamento por atividade agrícola e pecuária e por modalidade, quais sejam: (i) custeio da produção agropecuária, (ii) Investimento em bens e serviços para produção agropecuária, (iii) comercialização da produção e (iv) custeio de beneficiamento e industrialização (agroindústria).

Mais informações sobre crédito rural na página do Banco Central:
https://www.bcb.gov.br/pre/bc_atende/port/rural.asp

1 - PRONAF – Agricultores Familiares

O Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - é componente estratégico da política de desenvolvimento rural inclusiva e sustentável no Brasil. O Pronaf, além de financiar investimentos para a produção de alimentos, é um programa que democratiza o acesso de agricultores residentes nos longínquos rincões brasileiros à política pública do crédito rural. O Pronaf oferece condições mais vantajosas de juros e prazos e pode ser acessado somente por agricultores familiares que possuem a declaração de aptidão ao Pronaf (DAP).

2 – Crédito Rural – Demais Agricultores

O Sistema Nacional de Crédito Rural é um dos instrumentos de política agrícola e possui diversas modalidades de financiamento para agricultores e suas organizações. Dentre elas pode-se citar linhas específicas para custeio das atividades agropecuárias, investimentos na propriedade, investimentos em infraestrutura de armazenagem e comercialização de associações e cooperativas.


Quais são os objetivos do crédito rural?

  • Estimular os investimentos rurais efetuados pelos produtores ou por suas cooperativas;
  • Favorecer o oportuno e adequado custeio da produção e a comercialização de produtos agropecuários;
  • Incentivar a introdução de melhorias no sistema de produção, visando ao aumento de produtividade, à melhoria da renda, do padrão de vida das populações rurais e à adequada utilização dos recursos naturais;
  • Desenvolver atividades florestais e pesqueiras.