Crédito Rural

No Brasil, o governo federal tem planos safras distintos: um específico para a agricultura familiar, o Plano Safra da Agricultura Familiar, e outro para a agricultura em geral, o Plano Agrícola e Pecuário (PAP), ambos sob gestão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Fomento à Produção Agropecuária
Por meio do Programa de Fomento à Produção Agropecuária, a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca concede financiamentos voltados para melhoria do processo produtivo, agregação de valor, desenvolvimento da pesca e aquicultura e saneamento rural. Os recursos são oriundos do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), sem juros e com prazo de cinco anos para o pagamento.

Fundo Estadual de Sanidade Animal - FUNDESA -
O Fundo Estadual de Sanidade Animal (Fundesa) visa manter e melhorar o status sanitário animal de Santa Catarina. O fundo dispõe de recursos financeiros para indenização de produtores pelo abate sanitário de animais acometidos por doenças infectocontagiosas com controle sanitário do Estado.

Programa Nacional do Crédito Fundiário - PNCF
Em parceria com o Governo Federal, a Secretaria da Agricultura e da Pesca executa o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), que, a partir de 2003, substituiu o Banco da Terra. O PNCF, também, possibilita aos trabalhadores e trabalhadoras rurais sem-terra ou com pouca terra, minifundiários e jovens rurais o acesso à terra por meio de financiamento para aquisição de imóveis rurais, para que possam iniciar seus projetos de vida em terras produtivas próprias.

SC Rural
O programa SC Rural foi uma iniciativa do Governo de Santa Catarina, com financiamento do Banco Mundial (BIRD). O programa, que visa consolidar a política pública para o desenvolvimento do meio rural catarinense, investiu US$189 milhões, sendo US$90 milhões financiados pelo BIRD e US$99 milhões do Governo do Estado. Foi executado de 2010 a 2017, obtendo do Banco Mundial o status de projeto de referência na América Latina.

O programa Terra Boa visa subvencionar parte dos custos de aquisição de calcário e sementes de milho, a fim de melhorar o padrão tecnológico e aumentar a produtividade das lavouras catarinenses.